Caracterização da EB1 de Paivas

 

A EB1 de Paivas fica situada na localidade de Paivas, freguesia de Amora, no concelho do Seixal, distrito de Setúbal. Esta é uma zona com uma situação geográfica privilegiada pois, para além de uma grande parte da sua área ser banhada por dois braços do rio Tejo, facilitando o contacto com o exterior por via fluvial também, por via terrestre, funciona como bom corredor de ligação da capital ao sul do país.

Tem inseridos  na sua zona diversos bairros, com uma população bastante heterogénea, proveniente de vários extratos sociais. O espaço envolvente é vasto, agradável e com muitos atrativos para as crianças,  especialmente o Parque Urbano das Paivas, um jardim com uma grande área relvada, lagos, parque infantil e desportivo.

A escola foi inaugurada em fevereiro de 1978, começando por nela funcionar a Escola n.º 2 do Fogueteiro. Eram então apenas oito turmas, oito professores e uma auxiliar de ação educativa. O horário em vigor era o normal (manhã e tarde). Devido ao aumento da população escolar, bem como à grande área residencial pertencente à escola e ao perigo de certos itinerários a percorrer pelos alunos, foi construído um novo edifício em 1980, para onde passou a referida escola, tendo sido criada nessa altura a Escola n.º 3 do Fogueteiro, que ficou neste edifício. No ano letivo de 1980/81 havia 16 turmas, com uma média de 38 alunos cada uma, 16 professores titulares de turma e 10 professores de apoio. Continuava a haver apenas uma auxiliar de acção educativa. Durante alguns anos manteve-se um número elevado de alunos.

A partir de 1990 esse número começou a baixar e, consequentemente, o  número de lugares docentes decaiu. A 3 de junho de 2004, por publicação no Diário da República, esta escola passou a chamar-se EB1 de Paivas.  Presentemente existem 11 turmas (num total de cerca de 220 alunos), 14 professores e 3 assistentes operacionais.

O edifício é de tipo P3, com quatro núcleos de duas salas fechadas e zona comum (a chamada "zona suja" ou área para Expressão Plástica), devidamente rentabilizada em todos os núcleos. Decorrente de um projeto de Ciência Viva "Experimentando eu Aprendo", aprovado em 1998, em cada uma destas áreas foi criado um mini-laboratório de raíz, para Ciências Experimentais, com o apoio da Junta de Freguesia de Amora (na cedência dos quatro armários-vitrine que deles fazem parte).
A escola tem ainda casas de banho para professores e alunos,  quatro pequenos gabinetes (onde funcionam: coordenação da escola, sala de professores, o apoio da Educação Especial e a secretaria do ATL), um espaço polivalente, uma cozinha, refeitório e arrecadações.

O espaço exterior dispõe de um campo de jogos, zona térrea para recreio e uma outra zona, preparada pela autarquia, onde é dinamizado o horto pedagógico, por professores, alunos e assistentes operacionais da escola.

Com o decréscimo progressivo de alunos e, consequentemente de turmas, passaram a ser menos as salas ocupadas. Com uma sala devoluta e, num projeto financiado pela Rede de Bibliotecas Escolares, em parceria com a Câmara Municipal do Seixal, o Agrupamento de Escolas Paulo da Gama e o apoio da Junta de Freguesia de Amora, foi instalada de raiz uma Biblioteca Escolar, em 2012.

No presente ano letivo, a escola oferece ainda atividades de enriquecimento curricular, promovidas pela Associação de Pais e Amigos do Agrupamento de Escolas Paulo da Gama, bem como atividades de tempos livres promovidas pela Santa Casa da Misericórdia do Seixal.

logótipo da escola »

O logótipo foi criado no ano de 1999, por uma das professoras em exercício na escola, Vanda Bernardino.

 

A imagem foi desenhada em homenagem à escultura existente no Parque Urbano das Paivas, mesmo em frente ao portão principal de acesso à escola.
A referida escultura, da autoria de Helder Batista, feita em ferro e inaugurada em 1996 é denominada "Monumento ao poder local democrático", simboliza a Liberdade e a Democracia, comemorando os 20 anos do pós 25 de Abril e pode visualizar-se ao lado.